Ciclo Circadiano e Alimentação

Novos estudos levantam novas pistas sobre a relação entre obesidade e o ciclo circadiano.
“Interrupções no nosso ritmo circadiano, o relógio que durante 24h regula o sono e a vigília, afecta o nosso corpo de mais maneiras do que previsto. (...) Quando o ritmo circadiano é desregulado – pelo jet lag, mudança de turnos ou comendo em horários diferentes - pode, ao longo do tempo, contribuir para o ganho de peso e depressão. Pode ainda aumentar a probabilidade de ter problemas cardíacos ou de fígado.”

As explicações são várias:

“O cérebro era considerado o relógio mestre do corpo, enviando ordens aos órgãos. No entanto, na última década, os cientistas descobriram células-relógio nas células dos diferentes órgãos do corpo e o cérebro aparece agora como um director de uma orquestra. Cada órgão opera segundo o seu relógio interno, produzindo enzimas e moléculas a níveis diferentes consoante a hora do dia e o cérebro funciona no sentido de assegurar que todos os relógios estão sincronizados. Dessincronias entre cérebro e órgãos ou entre cada órgão pode levar a problemas. (...) As células-relógio parecem ter uma grande influência no metabolismo e como o corpo lida com a gordura e o açúcar. No entanto, numa experiência com ratos é demonstrado que “não são só as mutações das células-relógio que mudam o comportamento dos animais, mas também o comportamento dos ratos (na mudança do ritmo circadiano) influencia estas células. (...)

Ainda não é claro como as desregulações no ritmo circadiano podem influenciar o peso. Uma teoria é que em certos momentos do dia, uma bactéria intestinal pode estar mais ou menos activa de modo a segmentar a comida em moléculas para serem absorvidas no intestino. Comer numa altura em que a bactéria esteja menos activa pode levar a uma menos segmentação da comida e, consequentemente, a um armazenamento maior no corpo.”
Assim, adiantam:

“Dormir o suficiente – 7 a 8 horas – e, idealmente, dormir e acordar a cerca da mesma hora todos os dias, mesmo aos fins-de-semana, é importante para manter o ciclo acordar-dormir sintonizado. Não é necessário que as 7 ou 8 horas sejam contínuas durante a noite mas, consistentemente, mais sono é melhor do que menos. Comer e fazer exercício regularmente, mas não perto da hora de deitar, é também importante para este ciclo.”

Os novos resultados advêm de estudos da Northwestern University’s Center for Sleep and Circadian Biology. Talvez não sejam resultados surpreendes pois há diversas pessoas que já relacionaram essa desregulação de horários com maior apetite ou maior ganho de peso, contudo, o estudo evidencia agora provas cientificas sobre estes factos.

Fonte: The Wall Street Journal, 30.3.11 (tradução da autora)